quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Laguna quer usar aviões de fabricante falida

Fokker 100 usado pela companhia holandesa KLM, modelo que a Laguna Linhas Aéreas também pretende adotar




Para iniciar suas operações, a Laguna Linhas Aéreas, que prevê para dezembro seus primeiros voos comerciais, escolheu 48 aeronaves da holandesa Fokker. A fabricante foi falência em 1996, suspendeu a produção no ano seguinte e atualmente mantém atividades apenas na manutenção de aeronaves. No Brasil, o Fokker ficou estigmatizado pelo acidente da TAM, em outubro de 1996, que culminou com a morte de 99 pessoas logo após decolar do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

 
As aeronaves Fokker marcaram a atuação da TAM no setor aéreo brasileiro nos anos 80. Os aviões holandeses substituíram os bimotores então usados pela companhia em rotas regionais e garantiram uma década de expansão para a companhia.



A chegada do Fokker 100 na década de 90 colocou a TAM em um novo patamar, capaz de operar voos nacionais e internacionais. Com a decadência da fabricante e a oferta de aviões mais modernos, a TAM deixou de voar modelos da Fokker e trocou por modelos da Airbus.



Em todo o mundo, o principal acidente com a aeronave Fokker 100 foi o da TAM. Ao todo, o modelo sofreu sete incidentes graves, apenas dois com registro de mortes, segundo dados da Flight Safety Foundation.



Hoje, a Avianca é a única empresa brasileira que usa o Fokker. Os aviões da companhia eram da American Airlines e chegaram ao Brasil em 2006 com o nome original do modelo: MK-28. Foi uma estratégia para melhorar a aceitação da aeronave, que já estava associada ao acidente da TAM ocorrido em 1996.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário